O Quê Você Precisa Saber Sobre Os Adoçantes Artificiais


O Quê Você Precisa Saber Sobre Os Adoçantes Artificiais


Os adoçantes artificiais entraram no mercado com toda força e a justificativa foi apelativa e com uma força muito grande frente as pessoas. Novamente usaram o apelo da quantidade de calorias dessas substâncias. A contagem de calorias ainda é algo marcado na mente e dessa forma lançaram a idéia de que os adoçantes artificiais seriam uma saída para o sabor “doce” sem possuir calorias.

Parece fantástico até realmente falarmos a realidade, afinal são ainda divulgados como uma saída para prevenção de Diabetes, obesidade, doenças cardiovasculares e assim por diante. No entanto, a realidade é outra: os adoçantes artificiais aumentam a chance de você se tornar Diabético, ganhar peso, sofrer de doenças cardiovasculares e ainda tem uma relação grande com doenças neurológicas como as demências.

Somos bombardeados com a informação de que os adoçantes possuem baixa caloria e não engordam. Chamaria isso de uma falsa ilusão, podemos citar vários tipos e cada um com muitos problemas associados, no entanto vamos dar destaque ao mais frequentemente utilizado: o aspartame. Seguimos então aos paradigmas: você não vai perder peso, pelo contrário, vai ganhar peso!

Isso mesmo, essa substancia aumenta a resistência a leptina, consequentemente sentirá mais fome e a saciedade não será atingida. Na realidade esse é o menor dos problemas. O aspartame possui em sua composição um ester metil que ao ser metabolizado se transforma no álcool metanol (extremamente tóxico para nosso fígado e sistema nervoso). Ainda tem um grupo de ácido aspártico (neurotóxico associado a Alzheimer / Parkinson) e a fenilalanina (aquela da lesão da fenilcetonúria – levando ao comprometimento do sistema nervoso). Agora começou a entender o porquê muitas pessoas tem aquela dor de cabeça “sem causa”, uma tontura esporádica com visão turva ou até mesmo um comportamento agressivo. A questão da caloria, apesar de errada, é um problema bem pequeno perto de tudo isso!

Comece a ponderar se realmente vale a pena se intoxicar com essas substâncias adicionadas nos seus alimentos.

 

Fonte: Guilherme Ferreira Takassi