Glutamato Monossódico


O glutamato monossódico se trata de uma substância conhecida como excitotoxina. Criada no oriente e utilizada em grande quantidade como um tempero inocente. O glutamato monossódico entrou no mundo ocidental pós segunda guerra, tem como grande função a característica de melhorar o sabor dos alimentos (acentuar o sabor).

Infelizmente essa substância continua sendo vendida sem problema algum pelo mundo todo. No entanto, já sabemos muitos conceitos a respeito como por exemplo: o glutamato monossódico atua como um hiperestimulante sobre o sistema nervoso central.

Esse estímulo aumentado faz com que a o neurônio fique em alta atividade e acabe “perdendo” função. Isso inclusive muitas vezes pode levar a morte da célula nervosa. Dessa forma, começamos entender o porquê a pessoa que consome glutamato frequentemente tem dores de cabeça como sintoma precoce e tardiamente aumenta muito a chance de doenças como Alzheimer, Parkinson e outras doenças neurológicas.

Alguns estudos publicados mundialmente já mostraram outros efeitos além dos neurológicos associados ao glutamato monossódico. Um desses acompanhou 10.000 chineses adultos e aqueles que consumiam mais de 5 gramas por dia tinham 30% mais chance de se tornarem obesos do que os que consumiam menos do 0,5 grama por dia. O mecanismo para isso estaria ligado ao hormônio leptina, sendo que os consumidores de mais de 5 gramas de glutamato monossódico começaram a desenvolver resistência a leptina. Lembra que esse hormônio está associado ao “estar satisfeito” perante a uma refeição. Ou seja, ao adicionar glutamato monossódico na comida, você come mais do que comeria sem essa substância. Além disso, lembre-se que a leptina é responsável por inibir o acúmulo de gordura anormal. Quando você se torna resistente pelo consumo do glutamato monossódico, esse acúmulo ocorre de uma forma muito mais consistente.

Atualmente se você parar para pensar a respeito desse assunto, vai perceber que se torna praticamente impossível encontrar alimentos processados livres de glutamato monossódico. No entanto, mais uma vez chamo atenção para o fato: processados. A forma de se livrar desse problema é começar a consumir alimentos de verdade, comida não “empacotada”. Hoje pela divulgação contra o sódio, nós tivemos uma sequência de alimentos vendendo a imagem de “baixo em sódio”, esses normalmente são ricos em glutamato monossódico (vale verificar sempre na lista de ingredientes do rótulo). Só para ter idéia de mais alguns problemas causados: piora o sistema imune, disfunção de tireóide, disbiose intestinal, fibrose / acúmulo de gordura no fígado, aumento do risco de infertilidade, diabetes e rinite / sinusite.

Fonte: Guilherme Takassi